O impacto do Home Office em uma entrevista de emprego

No início da pandemia de covid 19, não apenas os Brasileiros, mas sim grande parte da população mundial foi obrigada a trabalhar remotamente. Lojas, empresas que não eram consideradas essências foram obrigadas a mudar seu modelo de trabalho. Muitas cresceram, outras faliram. Mas não é sobre isso esse post.

Para quem nunca havia trabalhado remotamente, os primeiros dias foram assustadores. Muitas pessoas acordaram no mesmo horário habitual, e não sabiam bem como administrar o tempo que ganhavam a mais no seu dia a dia. Muitos, arrumaram-se com a vestimenta social completa, para trabalhar da sua casa. Outros, acordavam 1 minuto antes do horário de entrada, se logavam e após isso, iam se arrumar, tomar um café, lavar o rosto, e por aí vai.

Durante esse processo, muitas coisas foram mudando. O pessoal que se arrumava com sua vestimenta de escritório, começou a notar que não precisava disso. E caso acontecesse uma reunião importante, apenas a parte de cima da roupa, que era o que seria visível na câmera, seria importante. Outros, nem com isso mais se importavam.

No começo, as pessoas tinham receio e pediam 1 milhão de desculpas quando o vizinho ligava a furadeira bem no meio da sua fala em uma reunião. Com o passar do tempo, isso ficou normal. Quedas de internet, energia elétrica eram corriqueiras em alguns casos, mas não tínhamos muito para onde correr, pois os escritórios estavam fechados.

Conforme o tempo foi passando, algumas pessoas assim como eu, não viam a hora de voltar para suas empresas. Ver a cara das pessoas na rua, ter a sensação de sair de manhã para trabalhar, faltava. Olhar aquele cantinho da sua casa que na pressa você adaptou como local de trabalho, para alguns incomodava, para outros não. Para alguns, não da mais para existir trabalho presencial, para outros é necessário.

Foi a partir disso, que surgiram 3 perfis de trabalho da nova atualidade. O 100% presencial, o Híbrido e o 100% remoto. Com o surgimento desses 3 perfis, as críticas também surgiram. O cara que possui o perfil 100% remoto, critica vagas presenciais, e as vezes ate híbridas. O cara que tem o perfil presencial, não entende como alguém consegue ficar 100% em casa, não ver a cara de ninguém, não ver pessoas, não pegar transporte cheio.  O único que ta de boas nessa guerra, é o híbrido. Que costuma ser o perfil que 2 vezes por semana na empresa, essa vaga está de boas para mim.

Mas como isso impacta os processos seletivos?

Eu como a pessoa que faz recrutamento, entendo a dor do RH agora. Por trabalharmos em um setor considerado essencial, temos vagas que não podem ser remotas, em alguns casos, nem hibridas. Afinal, um servidor não escolhe a hora de parar. Já realizei contatos para entrevistas de empregos, no qual a vaga dizia ser presencial, e no momento de agendar a entrevista, com o candidato que se inscreveu por conta própria nela, ser interrompida para a seguinte pergunta. A vaga é remota?

Já realizei entrevistas de emprego on-line, no qual o entrevistado não se deu o trabalho de pentear o cabelo. Marquem entrevistas de manhã, e vocês presenciarão isso. Já fiz entrevistas no qual o entrevistado com o celular, andava a casa toda. Naquele dia, conheci remotamente uma residência nova por completo.

Já entrevistei pessoas que estavam fazendo compra no supermercado, pois como era remoto, ela não entendeu que precisava se importar com isso. As “gafes” não param por aí. Camiseta de time de futebol, entrevistas no parque, na piscina do prédio, até mesmo entrevistas com a vestimenta da sua banda de rock favorita, e até mesmo pessoas deitadas na cama, já passaram pela minha lista de entrevistados. Sem contar, entrevistas marcadas de manhã, no qual a pessoa acabou de acordar e nem lavou o rosto. Gente, a câmera ainda mostra as sujeiras nos olhos penduradas.

Em contrapartida, já realizei entrevistas em que no maior calor de 30 graus, o entrevistado estava de blazer. Entrevistas que eram notáveis o cuidado que o entrevistado teve com aquele momento. Vestimenta, lugar adequado, silêncio. Tudo que indica um tempo para aquele momento.

O home Office, deixou algumas pessoas entendendo que é o novo normal. E que não pentear o cabelo, que ir ao mercado, que usar camisa de time de futebol, é normal. Que por estar remoto, não é necessário pensar e nem se preocupar com isso. O que elas não pensam, é que essas atitudes as eliminam das entrevistas.

Dicas de como se portar em uma entrevista on-line. ( E até presencial)

Não adianta de nada apenas criticarmos as atitudes, às vezes, faltam dicas e avisos que isso não está muito correto.  Por isso, segue algumas dicas de como se preparar para um processo seletivo on-line, afinal, você está procurando emprego porque precisa, e não porque não tem nada para fazer agora. ( Assim eu espero)

  • Pense na roupa que vai usar. Evite camisas coloridas demais, roupas de times de futebol, de bandas, políticos e afins. Não precisa estar de social, mas uma roupa bem apresentável evita distrações do próprio recrutador nesse momento. Afinal, o foco dele precisa ser o que você está falando, e não o que você está vestindo.
  • Prepare sua máquina ou celular onde fará a entrevista. Não custa nada um pouco antes você verificar se o áudio está funcionando, se a câmera está ok, se seu Windows não vai atualizar justamente agora. Senão tiver computador, não tem problema. Faça pelo celular. Só se preocupe em deixá-lo em um lugar fixo, onde a imagem não vai ficar balançando. E não ande pela sua casa com ele.
  • Se a entrevista for de manhã, pelo amor de Deus, o recrutador não precisa saber que você acabou de acordar. Arrume-se, tome banho, penteie o cabelo, não fique coçando o olho na entrevista. Ao menos que você tenha alguma alergia. Se isso acontecer, avise o recrutador. Ele precisa saber.
  • Pesquise sobre a empresa. Em uma entrevista remota, você consegue 10 minutos antes pesquisar sobre a empresa. Entender o que faz, onde fica. Isso brilha os olhos de quem te entrevista.
  • Não se preocupe com barulhos externos. O recrutador não vai te eliminar por causa disso. Só cuide para não estar em um ambiente propício a isso. Supermercados, no meio da rua. Isso não ajuda.
  • Se a sua energia acabar, a internet cair, ou qualquer coisa que te impeça de participar, não fique preocupado. Apenas entre em contato com o recrutador, e explique a situação. Ele irá entender, e remarcará a entrevista. Faltar sem avisar o motivo, só te coloca em uma lista de pessoas que aquela empresa nunca mais irá chamar.
  • Tente usar um fone de ouvido, ou headset. A sua casa toda não precisa saber o que está sendo perguntado.
  • Olhe para a câmera. O recrutador quer te conhecer. Responda as perguntas olhando para ele. Não olhe para a sua porta, para a sua TV, ou pro resto todo do ambiente. Isso não gera confiança em quem esta te entrevistando.
  • Avise seus familiares que você irá participar de uma entrevista. Você não quer no meio do seu processo, alguém entrando no ambiente e falando assuntos aleatórios. Isso tira a sua atenção, e fazer com que você mesmo se prejudique nas suas respostas.

Essas são apenas algumas dicas, que podem te ajudar nesse momento de realocação profissional. Compartilhe também com seu colega que está na procura de um emprego.

Abraços e até o próximo artigo.

Sobre Bianca Dezorzi 89 Artigos
Pós Graduada em Gestão de T.I, estou sempre aprendendo e consumindo conteúdos de Gestão. Atualmente sou Customer Success Manager na BNP e coordeno uma poderosa Central de Serviços. E nas horas vagas? Amo passear na natureza com meus cachorrinhos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*