Home office: Os dois lados da moeda

O home office não é novidade, e apesar de ter ganhado muita força com a pandemia de COVID 19, pela adaptação de muitas possibilidades de trabalho remoto, com o retorno aos escritórios ganhou muito mais atenção, porém nem todas positivamente.

Fonte: https://www.mundorh.com.br
Fonte: https://www.gazetadopovo.com.br

Antes que você leia realmente esse artigo, não me entenda mal. Não vim aqui trazer minha opinião, e muito menos criar uma discussão sobre o assunto. A ideia aqui é refletir sobre esse meio, e saber se ele realmente atende a todos.

Dentre as vantagens que o home office traz, a maior delas é a otimização de tempo. Quem antes acordava 3 horas antes do horário de trabalho, se locomovia para a empresa muitas vezes no transporte lotado, ou até mesmo naquele trânsito infernal que quem é Paulista conhece bem, ganhou talvez 2 horas e 30 a mais de sono, ou até o mesmo tempo para estudar e aperfeiçoar seus conhecimentos.

Já a empresa ganhou uma grande vantagem financeiramente. Em home office não é necessário o pagamento de vale transporte, a empresa reduz custos com Água, Luz, e insumos de funcionamento necessários para o dia a dia.

Do outro lado, quais são os lados negativos quanto ao trabalho home office?

Fonte: https://www.paho.org
Fonte: https://portal.fiocruz.br
Fonte: https://g1.globo.com
Fonte: https://www.metroworldnews.com.br/

Nem tudo são flores. As desvantagens existem e precisamos sim falar sobre elas! Hoje o home office disponibiliza o conforto e bem-estar da sua casa. Disponibiliza diversas reuniões online, que antes se resolveriam em uma simples conversa no corredor. Possibilita também aquela pausa para o café da tarde, uma esticada no sofá após o almoço, dentre outros. Mas não possibilita o contato físico com as pessoas. Você muitas vezes não conhece seu colega de trabalho pessoalmente, e isso diminui a criação de vínculos, que presencialmente existem e são criados com mais facilidade, para aqueles mais tímidos.

Já tive relatos, e não apenas um de conhecidos que desenvolveram depressão trabalhando em casa. Ela foi desenvolvida pelo fato do isolamento social. Não são todos os funcionários que moram com outras pessoas, e sim sozinhos.  E a ausência de alguém para conversar, uma risada, e até mesmo uma raiva que você passa no ônibus lotado, muda tudo.

Também já recebi relatos de pessoas que adaptaram sua casa para o home office. Criaram um cantinho dedicado para o trabalho, e quando saíram da empresa, o cérebro automaticamente ao ver seu cantinho de trabalho, achava que a pessoa ia trabalhar.

E como não pensar nos funcionários de telemarketing? Eu já trabalhei com isso, e sei que quando você chega no ambiente de trabalho, apenas de entrar na porta em alguns momentos bate aquele estresse, pois as pessoas muitas vezes não são boas com você pelo telefone. Agora imagina levar o telemarketing para dentro da sua casa? Quando seu expediente acaba, você ainda tem a sensação de que está nele.

Pode parecer uma coisa simples para você, mas para muitos não é. Desencadeiam crises graves de estresse, ansiedade e até mesmo crise de pânico. Sem contar as pessoas que trabalham em empresas que não são todos os cargos que podem ficar home office. A sensação de exclusão existe, e já vi relatos sobre isso.

O home office também aumentou as jornadas de trabalho. Muitas pessoas estão tão entretidas nas demandas, que quando se tocam, estão trabalhando na hora do almoço, ou até mesmo estendendo seu horário de trabalho.

Entre todas as desvantagens, a notícia a seguir também é algo que merece atenção. Muitas mães de família além de trabalharem para a empresa, acabam trabalhando para os filhos, que muitas vezes precisam de algo, ficam doentes e a mãe acaba fazendo esse trabalho extra.

Fonte: https://www.catho.com.br

Podemos falar muito ainda sobre os benefícios ou desvantagens deste modelo de trabalho. Mas o intuito maior deste artigo, é mostrar que existe sim um outro lado dessa moeda, e que você precisa entender isso antes de criticar uma empresa ou uma vaga hibrida ou até mesmo 100% presencial. Muitas vezes esta mesma empresa trabalha dessa forma por alguma medida de evitar esses problemas nos funcionários, ou até mesmo por alguma necessidade na prestação de serviços dela, que muitas vezes você não vai entender.

O home office curou feridas, mas também abriu outras.

Sobre Bianca Dezorzi 89 Artigos
Pós Graduada em Gestão de T.I, estou sempre aprendendo e consumindo conteúdos de Gestão. Atualmente sou Customer Success Manager na BNP e coordeno uma poderosa Central de Serviços. E nas horas vagas? Amo passear na natureza com meus cachorrinhos.

1 Comentário

  1. Achei este artigo bem complexo rs

    Eu vejo o Home office como um avanço na forma de trabalho, que possibilita otimização de tempo (o exemplo das horas perdidas no transporte achei excelente) e também redução de custos para empresas, tendo em vista que muitas empresas durante a pandemia deixaram os escritórios físicos, não tendo mais que arcar com valores altos de alugueis (sem contar as despesas para manter o local e deslocamento de funcionários) e continuaram suas atividades de forma remota. Porém vale ressaltar que nem todas as atividades conseguem ser realizadas de forma remota, cargos de gestão por exemplo exigem maior interação frente a frente, o que ao meu ver neste caso também pode ser estudada a opção de trabalho híbrido. Mas claro, em alguns casos e cargos o ideal é o trabalho presencial, e isso ao meu ver é algo que deve ser estudado pelas empresas tendo em vista o lado financeiro e produtivo.

    Agora, quando falamos sobre o assunto pensando no lado da saúde, eu acho que se torna mais complexo ainda rs. Eu acho que para esta análise é interessante analisar os cenários durante e pós pandemia!
    Durante a pandemia, as pessoas não tinham a possibilidade de sair de casa, de ter contato com outras pessoas e de ir à determinados lugares de lazer, pois simplesmente tudo parou, e consequentemente tivemos o crescente número de casos de problemas de saúde psicológicas e físicas (os quais muitos são gerados por causa emocionais), mas ao meu ver isso não está ligado diretamente ao home office (claro, não estou falando em totalidade por que sim, tem sua relação) pois se analisarmos o cenário pós pandemia, hoje as pessoas podem trabalhar de casa e em suas horas vagas (que são maiores devido á otimização de tempo) podem fazer atividades de lazer e conviver mais socialmente.
    Acho interessante falarmos também, que o trabalho presencial também está ligado ao nosso emocional, afetando de forma positiva e negativa, eu mesmo já tive problemas de estresse ocasionados pelo trabalho. Relações sociais ruins no trabalho, pressão, carga e demanda exagerada e até mesmo os longos e maçantes percursos até a empresa afetam nosso emocional.
    Mas a minha conclusão geral sobre este assunto é:
    Seja a forma de trabalho em home office ou presencial, as empresas precisam dar mais atenção e investir na saúde mental de seus colaboradores! Terapia não é frescura e é algo necessário, algo que beneficia a todos, tanto pensando em vida pessoal quanto profissional, e enquanto as empresas não perceberem isso irão ver sempre colaboradores estressados, ansiosos, depressivos, com problemas de relações sociais e etc, isso estando dentro da empresa ou dentro de casa.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*