APRENDENDO A APRENDER

BEM-VINDO
Você se planeja para aprender algo, reserva um espaço na sua agenda para tal, lê duas, três, quatro vezes… faz os simulados e melhora sua performance a cada nova tentativa. Agora você se sente preparado para fazer o exame, agenda sua prova, e… Alguma coisa dá errado, você reprova, se frustra, e quase sempre deixa um bom dinheiro para trás. Passado um tempo, você encontra forças para retomar os estudos e cai nos mesmos erros, como se estivesse em looping. Esta sequência de 3 artigos tem a intenção de tirar você deste buraco através de exemplos simples e práticos:
30/05 entendendo sua mente | 09/06 – Aprendendo melhor | 16/06 – Seu guia definitivo
Aproveite a jornada! #tmj

Assuntos complexos, classificados popularmente como chatos e difíceis de entender tendem a ser melhor absorvidos quando o deixamos numa linguagem que seja mais comum à grande maioria das pessoas… então, para começar a falar sobre neuroplasticidade, precisamos falar de música. Certamente você gosta de uma musiquinha, independente do ritmo.

Imagine aí o seguinte cenário: Você está numa roda de amigos e começam a rolar aquelas lembranças de músicas da infância de vocês…cheiro de nostalgia no ar. E aí alguém lembra de uma música, e na grande maioria das vezes, o que vem primeiro, é o refrão. Mas aí deu vontade de cantarem a música completa, desde o início… E aí todos querem de alguma maneira buscar lá na mente como que começa a bendita música, e o que a sua mente faz? Te leva por todo o caminho pós refrão, até que você chega lá na primeira estrofe.

Agora vai um outro exemplo bem comum: Você certamente se lembra do nome da sua professora da escola primária, mas não sabe o nome completo da grande maioria dos seus parentes, principalmente os mais distantes. Isso acontece muito por conta da proximidade e do relacionamento que você criou. Você já se perguntou porque toda lembrança de música sempre remete ao refrão? Justamente porque o refrão é a parte mais repetida da música, e o mesmo processo acontece quando você liga sempre para um mesmo número ou manda e-mail sempre para o mesmo endereço. Repetições criam memórias.

NEUROPLASTICIDADE

Precisamos lembrar que o principal mecanismo do sistema nervoso são as sinapses, que nada mais são que a conexão de dois ou mais neurônios para enviar ou receber informações trocadas entre todo o corpo e o córtex cerebral. Esse padrão sináptico pode ser remodelado por meio de pensamentos, emoções, adaptações ao ambiente, entre vários outros fatores. Resumindo, neuroplasticidade é a capacidade da mente se auto adaptar todas as vezes que entramos em contato com novas experiências. A neuroplasticidade permite a regeneração dos neurônios e que sejam criadas conexões sinápticas, controlando todas as nossas funções cognitivas, tais como atenção, memória, linguagem e percepção. A neuroplasticidade ocorre sobretudo na infância, fase em que as crianças adquirem novos conhecimentos, formam suas personalidades, tornando-se o “Joãozinho das piadas” ou o “nerd que é a cara do pai”. Isso acontece mais ou menos até os vinte anos de idade, onde o termina o desenvolvimento do sistema nervoso (base) mas continua na fase adulta à medida que o indivíduo vai se adaptando às novas necessidades.
A importância da neuroplasticidade se dá pelo fato de que ela estimula a adaptação do cérebro às mais variadas situações. Isso faz também com que um indivíduo não perca totalmente a sua capacidade de realizar determinadas tarefas, mesmo que algumas áreas de seu sistema nervoso estejam lesionadas. Você não precisa visitar um especialista médico somente quando você estiver doente. Este conjunto de artigos te levará a prática de exercícios que, se executados regularmente, vão fazer você ter um salto de qualidade nesta área. De qualquer forma, caso perceba que mesmo aplicando os conhecimentos, nada mudou, considere a visita a um profissional, é importante que o seu alicerce esteja rodando sem nenhuma falha para que todo o restante seja melhor absorvido. Usando como exemplo uma pessoa que perdeu a audição depois de uma certa idade — isto é, ela nasceu com esse sentido, mas, por algum motivo, essa situação foi alterada. Ao passar por esse trauma, ela precisa começar a compreender a sua realidade sem os estímulos auditivos. A neuroplasticidade é responsável por essa restauração.

PENSAMENTO FOCADO X PENSAMENTO DIFUSO

Agora que você já sabe que, para evoluir, é preciso que a neuroplasticidade aconteça, vamos seguindo com os pormenores de forma que a nossa capacidade de aprendizagem seja aproveitada no mais alto nível. Geralmente, a gente se esforça, porém, acaba estudando da forma errada e isso prejudica a evolução da aprendizagem.  Nesse sentido, é importante entender os princípios de funcionamento do cérebro para saber usá-lo de uma maneira que possa beneficiar o seu desempenho na hora de estudar. Sendo assim, aprenda a estudar da maneira certa e passe nas provas/avaliações/testes/certificações. Vamos falar um pouquinho do Modo Focado e Modo Difuso.

Usamos o modo focado para se concentrar ou compreender algo. Bem como, resolver um problema ou achar a solução para uma questão. Ao usar esse modo seu cérebro tenta resolver a questão de maneira rápida e utilizando, por vezes, alternativas conhecidas e semelhantes, como se só existisse um caminho. Para facilitar o seu entendimento, observe os verbos de ação que estão mais relacionados ao modo focado: avaliar, controlar, equacionar, decidir, investigar, planejar, diagnosticar e mapear. Já no modo difuso, usamos a parte subconsciente da mente, buscando soluções e saídas através dos conhecimentos que desenvolvemos ao longo dos anos, pulando de ideia a ideia, variando conceitos e áreas distintas. Assim, para a sua mente entrar no modo difuso é necessário que você relaxe e deixar a mente ficar livre e depois redirecionar a sua mente para o modo focado. Em outras palavras, a melhor maneira de ativar esse modo é deixar o problema de lado por um tempo. Observe os verbos de ação que estão mais relacionados ao modo difuso: Contemplar, cantar, meditar, exercitar, dançar, andar, jogar, ler. Os exercícios propostos ao longo desta jornada têm a expectativa de te ensinar a navegar entre estes modos, e toda esta mecânica somada a uma nova rotina de estudos certamente fará você alcançar resultados mais expressivos.

VENCENDO A PROCRASTINAÇÃO

Certamente você procrastina em alguma área da sua vida. Resumidamente, a procrastinação acontece quando você deixa para depois, algo que poderia ser feito . Vamos falar de procrastinação para o nosso foco aqui, que é te ajudar nos seus estudos, de forma que você consiga passar numa prova/exame de certificação qualquer. Neste aspecto, quando você fica deixando algo para depois, você geralmente termina só tendo tempo suficiente para fazer uma aprendizagem superficial em modo focado. Este é o principal motivo de não absorvermos tanto quanto deveríamos. Há muitas distrações no meio do caminho. Essas distrações deixam “sobrando” apenas padrões neurais fracos, dificultando demais a aprendizagem. É fortemente recomendado que você continue vivendo a sua vida, ou seja, se você não tem o costume de estudar algo, é este mindset que você deveria alterar primeiro. Não deveríamos ter que encontrar um espaço na nossa agenda apenas quando estivermos nos preparando para uma certificação. Estudar (como verbo de ação) deveria fazer parte da rotina de todos, não só por conta importância de absorção de qualquer conteúdo, mas por conta da melhora significativa que ele proporciona ao nosso sistema nervoso. Parece ser algo simples, mas a procrastinação está presente na sua vida, e para mudar este hábito, talvez seja importante começar por atividades mais simples, como por exemplo: não deixar para pagar uma conta/boleto apenas no dia do vencimento e/ou não deixar para comprar o presente de quem você ama apenas no dia “D”. Se você puder, faça o seguinte exercício algum dia: Imagine que você está jogando uma partida contra a procrastinação, e ao final do dia, tenha ciência de como terminou o placar da partida. Por exemplo: Se você utilizar o modo soneca do celular ao levantar, 1×0 para a procrastinação. Dependendo do resultado desta partida, talvez você tenha que visitar um profissional entender a relação da sua procrastinação com algum possível transtorno/déficit de atenção.

Se existe algo que devemos combater, principalmente no período que reservamos para os estudos, são as distrações. De todas as dicas propostas neste conjunto de artigos, esta talvez seja a lição mais importante de todas, porque mesmo que você consiga aplicar todos os conceitos, a procrastinação pode vir a derrubar todos eles de uma só vez. Quando estamos nos dedicando a algo novo/desconhecido, automaticamente estamos com os pés fora da nossa zona de conforto, e a tal da procrastinação é a corda que sempre vai tentar te puxar de volta para a zona de onde você “não deveria ter saído”…Continua

Sobre Rodnei Moreira 7 Artigos
Um observador nato, com espírito de eterno aprendiz. Um leitor meio nerd que não dispensa um bom chopp e nem uma boa roda de samba. Eu teria um desgosto profundo se faltasse o Flamengo no mundo.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*